quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

"Breves" Comentários: últimos filme que vi

Fazia algum tempo que não ia ao Cinema, algo em torno de duas semanas mais ou menos, muitíssimo para alguém que se auto-intitula cinéfila, então decidi no mínimo assistir a vários filmes em pouco tempo, minha meta era de cinco no fim de semana (todos no cinema), mas só consegui assistir a três, já é alguma coisa, para meu próprio consolo.

Na sexta assisti a Amor sem escalas (Up in the Air)e 500 dias com ela (500 days of summer) e no domingo vi Sherlock Holmes.

Dos três, preferi o primeiro, estrelado por George Clooney que está concorrendo em várias premiações. Não posso dizer que seja algo espetacular, porém é um filme agradável de ver, não atentando contra inteligências alheias, coisa que Hollywood está se tornando especialista em fazer. O diretor Jason Reitman realizador de outros dois bons filmes (melhores em minha opinião) Obrigado por fumar e Juno, é grande responsável pela boa qualidade desse Amor sem escalas.

500 dias com ela, era um filme que gerou grande expectativa em mim, pelas ótimas referências e críticas e pelo casal principal de atriz e ator, Zooey Deschanel e Joseph Gordon-Levitt, porém não me causou tanto "rebuliço" quanto eu esperava e/ou queria. No início houve uma maior empatia de minha parte, principalmente devida à cena em que os protagonistas se falam pela primeira vez, a conversa é ocasionada por intermédio de uma música dos Smiths que simplesmente adoro, chamada There Is A Light That Never Goes Out (música essa já dedica a mim pelo amor de minha vida... aiai) mas, com o passar do tempo tal sensação foi se perdendo e dando espaço a um certo cansaço de algo já visto e revisto.

E Sherlock Holmes? Fui assistir apenas por dois motivos: primeiro pelo convite de uma amiga que gosto demais para vê-lo com ela e o segundo tem nome e sobrenome: Robert Downey Jr. e sinceramente o filme não tem outra razão para existir. Gosto dele desde antes de sua gigantesca fama de hoje em dia, senti muita falta quando ele esteve longe das telas devido aos problemas com drogas e estou adorando essa nova fase “tudo-mundo-gosta-e-quer-ver”, para mim não é nenhuma novidade seu talento e ainda paro e penso: que cara gostos... ups... interessante... hehehe... Sherlock Holmes para mim é apenas ou tudo isso.

Filme que realmente merece ser visto e revisto (coisa que fiz) é Deixa Ela Entrar, visto na Fundação por duas vezes. Não sei se continuará em cartaz, acredito que não, pois já está há algum tempo, porém é totalmente indispensável para os amantes fidedignos da 7ª arte. Outro também não comentado aqui por mim, mas algo que foge aos padrões (ruins) de normalidade é Bastardos Inglórios, este com certeza o melhor filme do ano que se passou.

E Avatar? Avatar? Sinceramente deve se tratar de alguma piada de mau gosto! Afff...

4 comentários:

Ewerton Gonçalves disse...

Estais muito pessimista, por acaso existiu uma época melhor em Hollywood? Ou os EUA sempre foram "desqualificados" assim? E quanto a Avatar tu já assistisse mesmo ou só é implicância de sua parte com o pobre milionário James Cameron...
Quanto ao único filme que eu assisti (fale com ela) concordo plenamente.
Parabéns pelas críticas (pessimistas).

Anônimo disse...

Avatar é um filme agradável. Acho que por existir algo "superior" como um, digamos, Deixe Ela Entrar ou Bastardos Inglórios, não é motivo para desqualificar a fantasia gráfica de Avatar. Não entendi a qualificação como "piada de mau gosto". Pareceu-me pura implicancia da blogueira pensante.
Aliás, existe uma neurinha por parte da turminha 'cinéfila' (pseudo?) em torcer o nariz para qualquer coisa que não seja europeia ou que tenha a tal da aura cool (refiro-me a Tarantino ou qualquer coisa mais alternativa). Querem um bom exemplo? Shortbus. Eis uma bela piada de mau gosto que tomou ares de subversivo cool e fofo. Mesmo assim, este tem seus méritos.
De todo jeito, Antichrist continua sendo o filme do ano, com todo aquele mergulho denso na exposição da verdadeira alma feminina. Aliás, depois do inteligente (e revelador) Antichrist, qualquer 500 Dias com Ela se torna um filme dos mais bobocas.

Elisangela disse...

Respostas...

Ewerton querido de minha vida, posso lhe afirmar que sim, Hollywood jah teve tempos melhores e que vem piorando gradativamente, mais detalhes ainda sem tempo de explicitar por aqui...

Ainda não vi Avatar, vou vê-lo unicamente para ter a certeza de algo que suspeito profundamente: se tratar de péssimo filme, afirmo isto baseada nas inúmeras vezes que meu instinto cinéfilo acertou em cheio...

E Deixa Ela Entrar é realmente superior...

Anônim@ querid@, você certamente gosta bastante das dissimilaridades de nossas opiniões, também confesso gostar, porém como o próprio nome já define, são dissimilaridades, não concordamos em absolutamente nada...

Não torço meu pequeno nariz facilmente e com certeza sei apreciar a boa arte seja ela de onde for...

Anticristo é a perfeição da dita piada de mau gosto!

Abraços e agradecimentos a ambos...

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.