quarta-feira, 29 de julho de 2009

No mundo de God of War


Pois é, minha iniciação no mundo dos games para jogar em Play Station foi de cara com o que dizem ser um dos melhores já feitos.

Sempre gostei de jogar, diferentemente do que costumam afirmar quando se trata de meninas ao dizer que jogos é uma preferência masculina, comigo nunca foi assim, lembro-me de matar aula para jogar fliperama na praça perto do colégio, lembro-me também da primeira vez que fui a um Shopping, foi com minha turma de escola num passeio, joguei contra os meninos e ganhei de todos, desde sempre foi assim.

O meu apelido preferido vem desse gosto pessoal, o “Super" com que grande parte d@s meus/minhas amig@s me chamam vem do Super Mario Bros, não porque eu gostasse deveras de jogá-lo, mas sim porque quando Danny e eu nos conhecemos por coincidência estava dando uma chance a ele para fazer parte de minha lista de preferidos, nunca aconteceu isso, mas o que restou de bom foi justamente a tal denominação com a qual Danny começou a me chamar e com o passar do tempo outras pessoas foram fazendo o mesmo, até se tornar comum.

Mas, enfim o fato é que God of War é massa, nunca tinha jogado com Play Station em minha vida até poucos meses atrás. Meu mô me ensinou a jogar e de primeira vez estavam lá, eu, o Play Station 2 e o 1º God of War, ahhhhhh...

O jogo é bem violento, o que me atrai, gosto de destruir coisas, há inúmeras tarefas a serem feitas, não deixando de lado a necessidade do raciocínio, muito pelo contrário, acompanhamos Kratos, um espartano com habilidades e poderes que vão sendo dados por Deuses como Atena, Poseidon, Afrodite, ele precisará destruir Ares, o Deus da Guerra, pois assim Atena lhe concederá o desejo de que esqueça todas as maldades e tristezas que sofreu em seu passado.

É basicamente isso, porém, eu não expliquei nem o mínimo do que é na realidade, chega a ser embasbacante, os cenários, os monstros que vão aparecendo, as formas de matá-los combinadas com a interatividade proporcionada pelo jogo, tudo isso faz com que não se queira parar mais de jogá-lo, dizem que o 2, é muito melhor e que o 3 é... ??? nem sei a palavra, talvez duas: simplesmente perfeito!

Então, totalmente imprescindível para quem aprecia jogos verdadeiramente desafiadores, não vai se arrepender.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Não quero ver essas pessoas

Entra e sai de pessoas,
Quero paz
Esqueçam-se de mim
Não façam barulho
Cantando musiquinhas irritantes
ou ao andar com suas chaves dependuradas
anunciando suas chegadas...

Entra e sai de pessoas,
E não consigo pensar
A concentração sempre é quebrada
Requerem atenção
Cumprimentam
E eu tenho q sorrir?

Entra e sai de pessoas
Fico ansiosa e minha raiva vai crescendo
Não quero ver nenhuma dessas pessoas
Quero outras
Bonitas, inteligentes e cultas

Não quero ver essas pessoas
Quero outras
Ousadas, criativas e conscientes

Não quero ver essas pessoas
Quero simplesmente
as que amo, que admiro e que me
fazem sorrir por ser quem são!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Sobre Amizade

Amizade, sempre levei as minhas muitíssimo a sério, talvez em alguns casos muitíssimo até demais. Estou passando por um momento de evidentes e enormes modificações em minha vida, tod@s podemos mudar de opiniões, ratificar ou abandonar conceitos durante toda nossa vida, porém este momento para mim, ou seja, fim de dezembro de 2008 até a presente data tem sido verdadeiramente singular.

Pessoas nas quais eu poderia depositar confiança extrema sem qualquer tipo de limite, me decepcionaram da maneira mais ignóbil possível, contaminando minhas outras relações de amizade, o que foi muito ruim, já que me distanciei ao ponto de acreditar que nunca tive amig@s realmente e que era alguém sozinha, que não tinha com compartilhar absolutamente nada, sequer meus pensamentos.

Período péssimo esse, olhar em volta e só perceber descaso, complicações, dúvidas, não saber como se comportar e por esse motivo se afastar ainda mais, de repente, o grande baque: minha vida social terminou!

Nada de convites para sair, para ir ao cinema, para almoçar, para conversar, nada de telefonemas, de e-mails, nem scraps?! Realmente era o meu fim.

Percebi tudo isso, o quanto estava @s afastando, comecei a me incomodar cada vez mais, além de me sentir desamparada e sozinha.

Meus/Minhas amig@s são parte fundamental de minha vida. Sem amizade o que sobra? Amor sem amizade não existe, com a amizade vem a cumplicidade e pelo menos a esperança de ouvir daquela pessoa algo que consiga amenizar algo verdadeiramente aterrorizador.

Enfim, estou percebendo melhor os resultados de minhas atitudes e valorizando o que há de bom a ser valorizado, não superestimando quem de mim só merece o descaso, pois não soube lidar com algo tão importante e raro.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Amanhã é o dia da despedida!



Claro que sim, estou me referindo ao funeral do Rei do Pop, apesar de não haver escrito nada aqui até então sobre tal assunto e apesar de nunca ter sido sua fã, não posso negar que Michael Jackson também tenha feito parte de momentos significativos de minha vida e acredito que de uma grande parte das pessoas ao redor do mundo pelas inúmeras demonstrações de admiração e homenagens que estão sendo feitas a quase duas semanas desde sua morte.

Um dos momentos marcantes de minha vida que tem ligação direta com a música de Michael aconteceu aos meus 7 anos de idade, não é segredo até para o mundo mineral, como diz Mino Carta, o quanto a dança e dançar são importantes para mim e foi exatamente uma música dele a primeira que dancei, Don't stop get enough, olha aí o clipe:

http://www.youtube.com/watch?v=4_hz2am90Hk.

Lembro-me bem o quanto ela tocava naquele tempo nas rádios.

O outro momento aconteceu quando eu já era adulta, vez por outra passava algum documentário, entrevista com ele na TV, porém sinceramente nunca me interessei, mas, antes que mudasse de canal deu tempo para que eu escutasse algo primoroso, a explicação do que para ele era necessário saber para aprender a dançar, foi esta a pergunta que o entrevistador fez e ele transformou em palavras e gestos aquilo que eu sentia quando imaginava a resposta para algo desse tipo.

O que ele disse, foi algo mais ou menos assim em "tradução" livre minha:... dançar não se aprende olhando, decorando coreografias, seguindo passos marcados, para saber dançar você precisa permitir que a música leve você, deixá-la flui, entrar em você, primeiro ir subindo por seus pés, suas pernas, ir tomando conta de todo o seu corpo e deixar que o ritmo lhe conduza e aí você já estará dançando...

Nunca antes e nem depois ouvi alguém descrever tão bem o que é dançar de verdade, nisso Michael Jackson era realmente um gênio para mim!

Lá vem esse povo de direita

Juro, não agüento, é incrível como são previsíveis e irritantes, são sempre as mesmas frases, sempre as mesmas opiniões enfadonhas sem qualquer criatividade, tudo que acontece de ruim, lá estão os famigerad@s direitistas quais discos arranhados esquecidos e empoeirados a repetir como mantra para qualquer explicação: “a culpa é do PT”, antes “a culpa era dos Comunistas” e antes, confesso nem saber, pois eu ainda não era nascida.

Se a culpa em alguns dos casos é do PT, aqui representado por tudo aquilo que é taxado simploriamente de esquerda por tais mentes primitivas, não é o que está em questão, pois todos cometem erros, e o PT também, já que não deixa de fazer parte deste planeta, porém o fato é que parecem estar em eterna prontidão à espreita da menor falha, do mais bobo problema, para brandirem a plenos pulmões: tá vendo aí?

Ai ai, são desprezíveis, não sabem perder com estilo, não conseguem admitir a vitória e competência alheias... Pobres vermes, quando serão dignos de se tornarem Seres e deixarem a mera parvalhice de lado?