quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Coincidências? Trágicas




A notícia da morte de Heath Ledger me pegou de surpresa, como acredito ter acontecido com milhares de fãs não só dele, mas do Cinema em geral.

Ele era um ator em plena ascensão, já havia feito alguns filmes quando finalmente encontrou grande sucesso no papel de Ennis Del Mar em O Segredo de Brokeback Mountainn (de 2005) dirigido por Ang Lee que causou grande polêmica devido ao tema da homossexualidade, por esse papel Heath foi indicado ao Oscar.

Ano passado Heath Ledger participou do filme I’m Not There um tipo de biografia do ícone do Rock Bob Dylan, vários atores representam Dylan, a interpretação de Ledger foi uma das mais elogiadas e este ano estreará o “novo Batman” seqüência do ótimo Batman Begins ainda com Christian Bale como o Homem Morcego e Christopher Nolan como Diretor, Heath interpreta o Coringa, o que esperariam ser o mais importante papel de sua carreira, até os fãs mais ortodoxos estavam à espera do melhor Coringa já feito.

Na semana passada, mais precisamente no dia 15, morreu um outro ator sob as mesmas condições, não tão conhecido como Ledger mais também com futuro promissor, seu nome era Brad Renfro e seu 1º papel no cinema foi como o garotinho do O Cliente com Susan Sarandon e Tommy Lee Jones.

Brad Renfro

Há alguns meses houve um outro caso não tão parecido, mas que remete talvez ao mesmo contexto emocional, Owen Wilson ator conhecido por participações em diversas comédias tentou suicídio (está se recuperando agora), ao que parece não pela 1ª vez.
Owen Wilson
Em comum, esses fatos revelam não só a igualdade de profissão, mas também a indicação de um intenso sofrimento, algo não detectável pela grande maioria quando se trata da classe artística, tida por muitos como privilegiada, ainda mais quando os envolvidos são pessoas de sucesso.
Pode-se presumir que ter dinheiro, reconhecimento e fama, não é tão suficiente quanto se parece à 1ª vista, particularmente não posso afirmar nada, não os conhecia/conheço de maneira íntima, só posso refletir e imaginar que a dor existe para todos... Só a forma de lidar com ela é que depende de cada um.

Heath como Coringa

Um comentário:

Cleber disse...

Será que de tanto morrer cinematograficamente entres as câmaras fez com que se repetissem na vida Real numa espécie de "a vida imita a arte"???Que coisa!!!Fiquei tristinho com o insidente!!Bjinhossssssssssss AMOR!!