segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

De madrugada...

...hora insuspeita para dormir, alguns trabalham, operam máquinas de grande complexidade, outros "taxeaim" pelas ruas, outros tantos se divertem e muitos se prostituem para ganhar a vida... há ainda outras várias formas de "passar" por esse período escuro do dia... dormir simplesmente continua a ser a ação mais frequente...

Entretanto na madrugada do sábado para o domingo, depois de já ter "pego" no sono, acordei! mas, não foi um daqueles despertares dignos de apenas ir ao banheiro ou à cozinha tomar água.
Subitamente eu estava com vontade de fazer muitas cousas...

Que agonia boa... comecei a arrumar a casa inteira: levai os pratos sujos jogados na pia, organizei minha coleção das Revistas Carta Capital, separando algumas para doação, revirei todos os papéis e outras cousas várias jogadas dentro de meu guarda-roupas, separei os papéis que não faziam mais sentido de existir para reciclar, varri a casa, coloquei o lixo pra fora (às 3h vale salientar) e por último fui dançar... ahhhhhhhhhhh... fazia tempo que não me dava vontade de dançar daquele jeito...

Ao som de Beautiful People do Marilyn Manson, dancei e dancei como há muito não conseguia mais, não sei se por causa de estar acima do peso, ou por falta de energia, ou pela depressão bombástica que atravessou esses últimos tempos em minha vida ou se por tudo isso junto. Foi divino... a música entrava e saia transmitida em movimentos diversos enlouquecidos de fúria a ansiedade por algo como aquilo guardado em algum lugar muito bem escondido de mim mesma, êxtase absoluto, fazer com que seu corpo expire emoção, seja ela de que tipo for: boa, ruim, tudo que estava acumulando por tanto tempo... de repente foi sendo liberado, jogado, extraído ao som e ritmo de passos fortes, energéticos e dramatizados...

Sempre gostei de dançar... lembro-me que danço desde os 7 anos, foi uma maneira que encontrei de expressar meus sentimentos sem precisar comentá-los ou mesmo por não conseguir fazer isso...

Pensei que havia desaprendido, mas como foi bom perceber que não... perceber que ainda há força, energia, confiança, contidas em mim... tomara que elas não se escondam mais!!! e dançar assim é vida pura em gestos... não quero mais ser apenas "like a Zombie"!!!

3 comentários:

Cleber disse...

Pois é meu amor!!!Quando se trata de expressar nossos sentimentos devem ser de qualquer forma manifestada e há qualquer hora sem censura!!!VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA!!Continue sempre assim minha Bezulinha dançarina da minha vida!!!!BEIJOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS!!!!

Nilza disse...

Oi, Elis!!
Fico feliz por poder resgatar aquilo que é importante pra você...
Já reparou que o seu Elis é um diminutivo de Feliz? Nada é por acaso.......
Beijos, amiga.
Nilza.

Elis disse...

Ahhh Nilza, nunca tinha pensado nisso, que legal...

Obrigada...:)))
Beijos,
Elis...