segunda-feira, 3 de março de 2008

Enfim... INTO THE WILD!



Felicidade intensa e praticamente inenarrável...

Não é segredo para absolutamente ninguém que me conhece, algumas de minhas peculiaridades... Adoro:

Dançar...

Rock...

Cinema...

Ler...

Pensar...

Conversar...
Viajar... etc e tals!

Há certos casos bem específicos que fazem parte de minha admiração:
Pessoas próximas: não irei citá-las, já que cada qual sabe... :)

Pessoas "distantes": Madonna, Johnny Depp, Amy Winehouse e Eddie Vedder...

Minha banda preferida é sem dúvida o Pearl Jam...
Sinto admiração extrema... e Eddie para mim, é como se fosse nem sei quem...

Like a Angel!

Só sei que sempre que ouço sua voz, me sinto transceder... sinto-me leve e tranqüila, sei que cada letra de suas músicas representam e falam de mim, até melhor do que eu mesma...

Aí veio o trabalho solo... Sean Penn e ele são grandes amigos, Penn o convidou para compor a trilha sonora de seu novo filme "Into the Wild" e disse que ele ficasse à vontade para fazer o que achasse melhor, já que confia em seu talento demais...


Lá foi Eddie fazer Eddie ainda mais puro do que no Pearl Jam... Eu já sabia que seria algo deveras significativo e forte, fiquei esperando ao invés de me desesperar... O CD foi lançado lá nos EUA em Setembro do ano passado, se eu tivesse me preocupado desde então, teria perdido o resto do meu juízo que é bem pouco...



Então, sábado dia 01/03, enquanto esperava Sangue Negro começar fui à Livraria Saraiva só por desencargo de consciência, sinceramente eu acreditava que o CD ainda não teria chegado por aqui e que no mínimo eu poderia deixar meu nome em alguma lista de espera...
Descontraidamente perguntei a um dos vendedores:
- Vocês têm o novo CD... é... o trabalho solo de Eddie Vedder do Pearl Jam? (notaram como eu estava nervosa?)
O rapaz saiu andando apressadamente sem me dizer nada... E eu prontamente fui correndo atrás dele, sem nem saber do que se tratava... Ele chegou na prateleira de Rock e me entregou o CD, dizendo:
- Esse é o último!

Ahhhhhhhhhhhhh, eu quase tive um ataque de tanta alegria... Me agarrei com esse CD como se fosse a última gosta de água do planeta...
Enfim, cheguei em casa e fui "descobrir", o que me aguardava...

Perfeito é uma palavra aquém do que é na verdade o CD... Eddie Vedder, toca todos os instrumentos (há apenas duas exceções em duas canções), as letras são lindas... E quando é só instrumental também... Há uma chamada "The wolf" (O lobo) em que só ouvimos urros e gritos distantes, remete intensamente a uma cultura indígena selvagem e também já distante...
As outras canções são puro deleite para os ouvidos... Sensação grandiosa de estarmos o mais perto possível daquilo que poderia ser denominado de Divino...

"Você é fanática"! podem me acusar disso à vontade... Bem sei que o talento de Eddie Vedder consegue ultrapassar as prováveis "cegueiras" de alguém que admira tanto outro Ser!



3 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

eu vi o filme na Mostra, Achei o filem (e a trilha) um tanto meia-boca eh eh mas é legalzinho. Bom mesmo é o velhinho que concorreu ao Oscar de codjuvante. Ele faz chorar. Já o filme, é aquela coisa meio Sean Penn demais... às vezes, enche o saco. Eu queria ver Sean Penn numa comédia, saudade de Picardias Estudantis :)

bjs
Fernando

Elisangela disse...

Eita Nando do filme eu não sei nada, já que ainda não estreou pelas bandas de cá... Mas, tais falando sério da trilha um tanto meia-boca?????????

Faça isso cmgo não... Eddie Vedder está ótimo e inteiro em tdas as canções...

Bem, opiniões são opiniões enfim...
Vc gostou de Onde os fracos não têm vez, eu não... já eu gostei de Irreversível, vc não... hehehe

E assim é que se constroem os argumentos e as críticas, bom para nós!

Abs e bjs...
Elis...

Cleber disse...

Veremos se o novo sucesso de Sean Penn será tão maguinífico e espetacular como o álbum de trilhas sonoras assinadas pelo arraza-quarteirão e deleitoso Eddie Vedder!!Não é "meia-boca" é pura transcedência!!!Mozo concorda comigo né?Bjinhosssssssssss!!!